quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Aos intolerantes


sábado, 25 de fevereiro de 2012

Novo banner do blog e Parcerias ;)

Estou aceitando parcerias. Os interessados, manifestem-se nos comentários. ;}

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Apresentando: Adélia Prado

Com licença poética
Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou tão feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo. Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
- dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou.

Adélia Prado

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Dance!



Dê play e se jogue!

Calvin e Haroldo #15







Ah! É normal.

Normal. Sei...

Perfeições




Eram feios de dar dó, mas nem mesmo quando se conheceram viram isso um no outro. Ele sempre desejou as pernas dela, tortas e cheias de marcas de mordidas de mosquitos, envolvendo seu tronco desproporcional e exageradamente cabeludo. Imaginava o quadril extremamente fino e ossudo dela colado em sua pélvis.

Na primeira noite juntos viam apenas belezas. Ela colocava as mãos dele em sua bunda, tão escassa de carne, mas de onde ele tirava tudo o que precisava. O pescoço curto e grosso dele não a impedia de passar seus lábios finos por cada centímetro de pele. E os narizes avantajados não eram obstáculo para beijos que envolviam dentes tortos e bigodes, de ambos os lados.

Em suas imperfeições eram harmônicos. E isso fazia o desejo aumentar. Não se importavam com olhares, comentários feitos entre risinhos. Já estavam acostumados a conviver com aparências totalmente afastadas de padrões de beleza.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Faça ;)

6 grammys! Parabéns Adele!




"Adele fez exatamente o que se esperava dela e venceu em todas as categorias a que foi indicada, levando para casa seis prêmios Grammy, incluindo álbum, música e gravação do ano. E ainda fez uma das performances mais aplaudidas da noite, ao voltar aos palcos depois de meses parada por causa de uma cirurgia na garganta, cantando "Rolling in the deep" para uma plateia de figurões da música que a aplaudiram empolgados. Ao subir ao palco para o prêmio final, a cantora britânica que dominou as paradas de 2011 chorou."

Gravação do ano (intérpretes): 
"Rolling in the deep"- Adele
Álbum do ano
"21" - Adele

Música do ano (compositores):  
 "Rolling in the deep"- Adele
Adele - "Someone like you"
Álbum pop
"21" - Adele
Melhor vídeo musical - curto
"Rolling In The Deep" - Adele






"Rolling in the deep" foi a primeira que ouvi e me conquistou antes de descobrir a voz por trás dela.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Dias perfeitos


“Você nunca sabe qual dia será o mais importante da sua vida. Os dias que você pensa que serão os mais importantes nunca são tão importantes quanto você os imagina. São os dias normais… os que começam normalmente… Aqueles que acabam se tornando os mais importantes. E hoje foi o casamento. Foi lindo… Perfeito.
[...].
Você não reconhece o dia mais importante da sua vida. Não até que você esteja bem no meio dele. O dia em que você se compromete com algo ou alguém… O dia em que partem seu coração… O dia em que você conhece sua alma gêmea… O dia em que você percebe que não há tempo suficiente porque você quer viver para sempre… Esses são os dias mais importantes… Os dias perfeitos.”

Grey’s Anatomy; ep05 ; 5ª temp

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Aliviando a tensão



Porque todo mundo tem um dia daqueles uma vez na vida.

Felicidade Clandestina - Clarice Lispector

Todo o amor que se pode ter por um livro descrito em um conto.
Esse é um aperitivo de Clarice especialmente para vocês.


  Ela era gorda, baixa, sardenta e de cabelos excessivamente crespos, meio arruivados. Tinha um busto enorme, enquanto nós todas ainda éramos achatadas. Como se não bastasse, enchia os dois bolsos da blusa, por cima do busto, com balas. Mas possuía o que qualquer criança devoradora de histórias gostaria de ter: um pai dono de livraria. Pouco aproveitava. E nós menos ainda: até para aniversário, em vez de pelo menos um livrinho barato, ela nos entregava em mãos um cartão-postal da loja do pai. Ainda por cima era de paisagem do Recife mesmo, onde morávamos, com suas pontes mais do que vistas. Atrás escrevia com letra bordadíssima palavras como "data natalícia" e "saudade". 

  Mas que talento tinha para a crueldade. Ela toda era pura vingança, chupando balas com barulho. Como essa menina devia nos odiar, nós que éramos imperdoavelmente bonitinhas, esguias, altinhas, de cabelos livres. Comigo exerceu com calma ferocidade o seu sadismo. Na minha ânsia de ler, eu nem notava as humilhações a que ela me submetia: continuava a implorar-lhe emprestados os livros que ela não lia. Até que veio para ela o magno dia de começar a exercer sobre mim uma tortura chinesa. 

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Diversão é um conceito relativo


Um post sobre a Mafalda em um dos meus blogs favoritos!

Segue o link para quem quiser saber mais sobre, na minha modesta opinião, a rainha dos quadrinhos! A criação e os motivos de seu sucesso. Ah, também sobre os revolucionários de sofá. ;]

Por que Mafalda faz tanto sucesso nas redes sociais? 


[...]
Não importa como somos fortes.
Trauma sempre deixa uma cicatriz.
Nos segue pra casa…
muda nossas vidas…
Um trauma destrói a todos.
Mas talvez seja por isso.
Toda dor, o medo, as besteiras…
talvez passar por isso, seja o
que nos motivo a seguir em frente.
É o que nos empurra.
Talvez tenhamos que nos destruir…
antes de nos levantar.”

Direto do Ep.19 da 5ª temporada de Grey's Anatomy

Rita Lee sendo Rita Lee





Prisão da cantora pouco tempo depois com uma escolta totalmente desnecessária da polícia.  
Uma quantidade enorme de policiais escoltando o carro que levava Rita Lee para a delegacia em Barra dos Coqueiros/SE na madrugada de 28 para 29/01/2012. Não havia justificativa para tal contingente, pois poucas pessoas estavam no local. Nas imagens se percebe bem que mais parecia uma grande traficante que uma lenda do rock nacional indo prestar depoimento (uma falta de tato, por parte da polícia, em perceber que este era seu último show e que a cantora poderia estar sensível na sua performance final). Rita Lee exagerou nos xingamentos? Sim! Mas também houve um exagero enorme no trato com a artista - como podem ver nas imagens.

A DITADURA ACABOU HÁ MUITO TEMPO, MAS A IGNORÂNCIA, INFELIZMENTE, AINDA IMPERA EM MUITOS LOCAIS.